PORTUGAL: Vigilante cabo-verdiano assassinado em discoteca do Seixal

. Publicado em 11ª Ilha

Yó Fortes foi agredido à facada por volta das 5h30 da madrugada da última sexta-feira. O cabo-verdiano era funcionário de uma empresa de vigilância e fazia segurança à porta de um espaço de diversão noturno. Desconhecem-se ainda as causas da agressão, mas correm duas já versões. O crime está a ser investigado pela Polícia Judiciária


 

Um vigilante cabo-verdiano, de 39 anos, foi assassinado à facada numa discoteca de Amora, no concelho do Seixal, na margem sul do Tejo. Yó Fortes (na foto) fazia segurança naquela casa noturna quando, na madrugada da última sexta-feira, foi alegadamente agredido por um indivíduo de 32 anos.

O crime ocorreu por volta das 5h30 quando decorria no espaço uma festa africana. Duas versões correm sobre as causas do esfaqueamento: desentendimentos provocados por “negócios da noite” ou um “ajuste de contas” decorrente de alguma atitude mais firme que o vigilante tenha adotado.

No local esteve uma equipa de paramédicos dos bombeiros locais que, no entanto, não conseguiu impedir a morte de Yó Fortes.

Entretanto, a Associação Vigilantes de Portugal (AVP), em nota publicada no seu site, declara que “sente muito a perda de mais um colega endereçando primeiro que tudo a toda a família, amigos, colegas de trabalho e profissão as sentidas condolências”.

O alegado agressor foi detido pela Polícia de Segurança Pública e este sábado foi ouvido por um juiz do Tribunal do Seixal, sendo o mais provável ficar em prisão preventiva. O caso está já a ser investigado pela Polícia Judiciária.

O JSN mantém contacto com uma fonte em Portugal e espera, nas próximas horas, avançar pormenores sobre a trágica ocorrência.

com CM e AVP

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)