PORTUGAL: Polícia despeja moradores da antiga Mecânica Setubalense

. Publicado em 11ª Ilha

Os moradores deste bairro clandestino, na maioria cabo-verdianos, estão a ser encaminhados para pensões, mas a Segurança Social apenas garante alojamento para duas noites. Junto da comunidade há uma grande revolta pela ausência e silêncio da Embaixada de Cabo Verde em Lisboa


 

Por volta das 8 horas desta quinta-feira (seis horas de Cabo Verde) um forte aparato de 50 agentes da Polícia de Segurança Pública, agentes do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, funcionários do tribunal e da Segurança Social chegaram às instalações da antiga Mecânica Setubalense (na foto) onde viveram nos últimos anos mais de 40 agregados familiares, na sua maioria cabo-verdianos.

As forças policiais deram apenas uma hora aos moradores para recolherem objetos pessoais e abandonarem as suas casas. Quanto a móveis e eletrodomésticos, foi garantida a sua colocação num armazém, mas terão obrigatoriamente de ser levantados até 15 de agosto.

Quanto ao alojamento, as autoridades estão a encaminhar os moradores para pensões de Setúbal e Alcântara (Lisboa), mas apenas garantindo pernoita para duas noites. A informação foi avançada ao JSN por um morador que pediu o anonimato.

A Segurança Social havia-se comprometido a garantir alojamento definitivo a todos os agregados que estivessem em situação de legalidade, no entanto, até ao momento, foram apenas realojadas oito famílias (de mais de quarenta residentes no bairro clandestino), tendo cada uma delas entre quatro a cinco pessoas.

Embaixada ausente e em silêncio

No local, segundo a nossa fonte, os cabo-verdianos estranham o silêncio e a ausência da nossa representação diplomática e da Associação Cabo-verdiana de Setúbal (ACS). Recentemente, por ocasião das comemorações do 39º aniversário da Independência de Cabo Verde, a embaixadora, Madalena Neves, esteve em Setúbal na companhia do deputado do PAICV eleito pela Europa e Resto Mundo, Arnaldo Andrade, mas não passaram pelo bairro (conhecido também por "Vila Maria") para dar uma palavra de solidariedade aos nossos patrícios ali residentes, o mesmo acontecendo com a presidente da ACS, Felismina Mendes.

Aliás, segundo referem os moradores, o único político cabo-verdiano que esteve no local foi o deputado Emanuel Barbosa (MpD) que vem mantendo contactos regulares com alguns moradores e que, recentemente, este no bairro com o pároco local, o padre Constantino Alves (que desde a primeira hora manifestou a sua solidariedade e pressionou a Segurança Social para encontrar soluções).

Recordamos que as instalações da antiga fábrica são propriedade do Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social (IGFSS) que, em junho último, avisou os moradores que teriam de abandonar as instalações até ao final do mês. 

 

comments

Comentários (1)

Cancel or

  • Reglisse Dupond não sabe ler? veja lá bem o que eu critico aqui, se não é o sistema?! aahh e eu dou a cara pelo que defendo, não me escondo atrás de um nome estranho ( até pode ser o seu) e muito menos atrás de imagens do google para opinar sem nada para dizer a não ser ofender quem se conhece...

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)