Fundo de Desenvolvimento Chinês vai financiar projetos de 22,5 ME em Cabo Verde

Escrito por Editor JSN . Publicado em Economia e Negócios

O Fundo de Desenvolvimento China-África vai financiar projetos em Cabo Verde no montante mínimo de 25 milhões de dólares (cerca de 22,5 milhões de euros), sobretudo na área do turismo, anunciou ontem o presidente da Cabo Verde Investimentos

 



Júlio Morais falava à imprensa na cidade da Praia durante uma sessão para apresentar o Fundo de Desenvolvimento China-África (CAD Fund), cujos membros, incluindo o presidente, Chi Jianxin, se encontram em Cabo Verde pela primeira vez à procura de oportunidades de negócio.


O CAD Fund é um dos principais instrumentos para o fomento de investimento chinês em África, criado por Pequim em 2007, tendo já investido em 84 projetos em 36 países do continente cujo montante ronda as 3,2 biliões de dólares.


Segundo o presidente da Cabo Verde Investimentos (CI) - Agência do Turismo e Investimentos de Cabo Verde -, o fundo pretende investir um montante mínimo e inicial de 25 milhões de dólares em Cabo Verde.


Afirmando que esta é uma grande oportunidade para os empresários cabo-verdianos apresentarem os seus projetos aos investimentos chineses, Júlio Morais indicou que o turismo, que representa cerca de 20% do PIB do país, será uma das principais áreas dos negócios.


Júlio Morais afirmou que os empresários cabo-verdianos, que encheram a sala de conferências da CI, já conhecem as potencialidades e possibilidades de investimentos chineses em Cabo Verde, mas precisam de se profissionalizar e adaptar os seus projetos ao perfil do fundo.


"Há uma grande necessidade da parte de Cabo Verde e o desafio é adaptar os projetos ao perfil do fundo e, sobretudo, o setor empresarial cabo-verdiano tem que se profissionalizar e ser cada vez mais autoexigente", sustentou.


Também disse que os homens de negócios cabo-verdianos precisam ultrapassar um dos principais constrangimentos, que é a sua capacitação a nível financeiro, no sentido de fazer o primeiro investimento, elaborar projetos e ter estudos prévios.


"E é preciso ter dinheiro para isso. Pensamos que um dos nossos constrangimentos é isso e vamos falar com o fundo sobre isso também", adiantou.


"Quanto temos uma delegação desta dimensão, com este perfil, devemos trazer projetos bancáveis, planos de negócios, terrenos adquiridos para dizer ?eu estou pronto'", prosseguiu o responsável, que acredita que o fundo vai financiar muitos projetos no arquipélago.


E disse que a prova é que os responsáveis pelo fundo coincidem a sua estadia em Cabo Verde com a de David Chow, empresário chinês que promove o completo turístico no ilhéu de Santa Maria, na Praia, num investimento de 250 milhões de euros.


"É um sinal claro (do interesse em investir em Cabo Verde)", notou Morais, informando que o CAD Fund e a Legend Development Company, de David Chow, estão em "interações aprofundadas" no sentido de formalizarem uma parceria para investirem em Cabo Verde.


Durante a sessão foi ainda apresentado o Fundo de Cooperação para o Desenvolvimento entre a China e os Países de Língua Portuguesa, criado em junho de 2013 no valor de 1.000 milhões de dólares (757 milhões de euros), e cujo Chi Jianxin também é presidente.


Os empresários chineses permanecem em Cabo Verde até quarta-feira.

 


Lusa

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)