Cabo Verde cai quatro posições no Doing Business 2017

Escrito por Editor JSN . Publicado em Economia e Negócios

Cabo Verde caiu quatro posições no Doing Business 2017, passando da 125 posição, que ocupava no relatório de 2016, para a 129 agora

 

 

O relatório do Banco Mundial publicado esta terça-feira informa que Cabo Verde apenas evolui 1 ponto nos quesitos “Paying Taxes” e “Getting Electricity”. De resto, nos outros itens em análise, o cenário é pior. No acesso ao crédito, por exemplo, o país desceu nove posições no geral, enquanto no quesito de início de um negócio, descemos 11 posições no geral do ranking.


Cabo Verde ficou pelos 55.28 pontos no relatório de 2017, contra os 55.30 do Doing Business de 2016.


Entre os países do continente africano, Cabo Verde é ultrapassado por Ruanda (56º), Marrocos (68º), Botsuana (71º), África do Sul (74º), Tunísia (77º), Quénia (92º), Seychelles (93º), Zâmbia (98º), Lesotho (100º), Gana (108ª), Uganda (115º), Egipto (122º) e Líbano (126º).


Em termos da CPLP, Cabo Verde figura na terceira posição, precedido por Brasil na 123ª posição do ranking, e de Portugal na 25ª posição.


O ranking é liderado pela Nova Zelândia, num total de 190 economias mais competitivas do mundo e depois Singapura e Dinamarca. No fundo da tabela estão o Líbia, Eritreia e Somália.

O relatório analisou indicadores como tempo, custo, procedimentos para abrir um negócio, obtenção de alvarás de construção e de crédito, proteção de investidores minoritários, acesso à eletricidade, registo de propriedade, pagamento de impostos, execução de contratos ou resolução de insolvências.

 

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)