COMENTÁRIO DO DIA: Nós e as integrações...

. Publicado em Economia e Negócios

A Europa transferia a imigração africana para Cabo Verde, que se transformava na sua fortaleza avançada. Analisando as coisas hoje, diria que o plano sofreu algumas alterações, mas é visível para quem tenha olhos para ver


 

Não é que tenha a ver com o assunto, mas sei que houve uma reunião na Alemanha sobre África nos finais dos anos de 1990 (ou metade), em que Cabo Verde foi apresentado como a solução para o desenvolvimento africano. Segundo as afirmações de quem lá esteve, concluiu-se que sendo o cabo-verdiano um povo inteligente (hoje tenho as minhas dúvidas, mas aceitava esperto), num continente de burros (como os de cá gostam pensar), o ideal seria transformar os ilhéus numa plataforma industrial (hoje se calhar empresarial faz mais sentido), buscando a força laboral no continente.

Soube disso em 2003 e diria hoje que seria uma espécie de actualização pós-colonial do modelo taylorista-fordista. Os proponentes seriam os patrões, os cabo-verdianos capatazes e os africanos proletários. A Europa transferia a imigração africana para Cabo Verde, que se transformava na sua fortaleza avançada. Analisando as coisas hoje, diria que o plano sofreu algumas alterações, mas é visível para quem tenha olhos para ver e, o mais importante, querer ver.

Redy Wilson Lima

(publicado no blog Ku-frontalidadi)

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)