EUA: Ex-líder do Ku Klux Klan teve relações sexuais com homem negro

. Publicado em Mundo

O discurso racista e a defesa da “supremacia branca”, sustentados por Frazier Glenn Miller, parecem ter caído por terra. Na intimidade, o septuagenário - que está a ser julgado pelo homicídio de três pessoas - gostava dos aconchegantes carinhos de um homem vestido de mulher


 

Um ex-líder do Ku Klux Klan (KKK) e fundador do Partido Patriota Branco norte-americano, Frazier Glenn Miller (na foto), de 73 anos, está a ser julgado pelo homicídio de três pessoas do Kansas (EUA) que ele pensava serem judias. O crime indignou a opinião pública americana e a Promotoria [Ministério Público] pediu a pena de morte.

Mas o processo e a repercussão internacional deste caso trouxeram a lume uma faceta oculta na vida deste racista e cultor da “supremacia branca”. Registos policiais revelaram que Miller já foi apanhado em flagrante a ter relações sexuais com um homem negro. O acompanhante do ex-líder do KKK estava vestido de mulher, segundo divulgou o ABC News.

Frazier Glenn Miller nasceu em Aurora (Estado do Missouri) e está a ser acusado da morte um médico de 69 anos e seu neto adolescente e também de uma mulher de 53 anos que visitava sua mãe numa residência para idosos. No ato da detenção por agentes policiais, o ex-líder da organização racista terá gritado “Heil Hitler!”, ao ser levado para a esquadra.

Fonte: Pragmatismo

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)