Viagem do Papa a Cuba apressa libertação de presos

Escrito por Editor JSN . Publicado em Mundo

Regime anunciou uma amnistia por ocasião da viagem papal a Cuba. Francisco visita a ilha entre 19 e 22 de setembro, antes de seguir para os Estados Unidos. Raul Castro deverá autorizar a libertação de 3.522 presos

 


A viagem que o Santo Padre realiza a Cuba entre os dias 19 e 22 de setembro está já a dar que falar. O regime de Raul Castro entendeu conceder uma amnistia a 3.522 presos, anunciaram esta manhã as autoridades de Havana que falam em gesto humanitário.

Esta amnistia contempla, essencialmente, pessoas com menos de 20 anos de idade e maiores de 60, sem antecedentes criminais e um grupo de presos que sofrem de doenças crónicas. Estrangeiros, cuja repatriação está assegurada, mulheres e alguns detidos cuja libertação estava prevista para o ano de 2016 serão também incluídos no grupo que será libertado antes da viagem do Sumo Pontífice.

Em 2012, por altura da viagem do então Papa Bento XVI o regime cubano libertara 3 mil presos.

De Cuba, o Papa Francisco viaja para o vizinho Estados Unidos da América onde permanece durante cinco dias.

Refira-se que o Vaticano sempre defendeu o restabelecimento das relações entre Havana e Washington, daí o simbolismo da viagem do Papa aos dois países na mesma altura.

 

 

 

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)