Já há governo na Guiné-Bissau

Escrito por Editor JSN . Publicado em Mundo

Depois do impasse já há governo. Não se sabe por quanto tempo. A verdade é que Domingos Simões Pereira não integra o novo executivo que conta com “aliados” do Presidente José Mário Vaz

 


Depois de um longo impasse, a Guiné-Bissau voltou a ter governo constitucional esta segunda-feira, 12 de outubro, ao fim de largas horas de novas e intensas negociações entre o Primeiro-Ministro indigitado e o Presidente da República, que conseguiu afastar do elenco nomes que o incomodavam.


É o caso do líder do PAIGC e antigo Primeiro-Ministro que acabou por cair durante as sucessivas reuniões da última segunda-feira.


JOMAV deverá ainda hoje conferir posse ao novo executivo que terá 17 ministérios e 14 secretarias de estado. Carlos Correia é Primeiro-Ministro devendo acumular um conjunto de pastas cujos titulares sugeridos não foram aceites pelo PR.


Outra grande novidade deste novo governo é a inclusão de Adiatu Djaló Nandigna que até ontem desempenhou funções como conselheira diplomática e política de JOMAV. Esta ‘aliada’ do PR vai chefiar a defesa nacional.


Outros nomes sugeridos por Carlos Correia para tutelar as áreas de administração interna e recursos naturais não agradaram o PR que deixou as duas pastas sem ministro devendo o próprio PM assumir ainda que temporariamente os dois ministérios.


O novo governo é nomeado precisamente dois meses após a demissão de Domingos Simões Pereira que venceu as eleições com larga maioria.


O PRS não integra o novo governo da Guiné-Bissau mas a Coligação União para a Mudança e o Partido da Convergência Democrática, sim, com seu líderes, Agnelo Regala a tutelar a Comunicação Social e Vicente Fernandes o ministério do comércio e indústrias, respetivamente.

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)