Papa defende que mulheres poderão celebrar batismos, casamentos e funerais

Escrito por Editor JSN . Publicado em Mundo

É um primeiro passo no caminho do sacerdócio. Francisco, perante 900 religiosas com quem se reuniu no Vaticano, garantiu ir criar uma comissão para estudar o assunto, o que numa linguagem mais direta apenas quer dizer que, a breve trecho, assistiremos ao surgimento das primeiras mulheres diáconas

 



A “revolução” tranquila que o Papa Francisco tem vindo a implementar na Igreja Católica, eleva-se agora a um novo patamar. O Bispo de Roma defende que as mulheres sejam diáconas, logo atrás dos padres, mas sem competências para dar missas ou ouvir confissões. Para já, apenas poderão celebrar batismos, casamentos e funerais.


Francisco concordou em criar uma comissão que avalie se as mulheres poderão ser ordenadas diáconas, o que numa linguagem mais direta poderá querer dizer que irão mesmo sê-lo, constituindo um passo gigantesco para que, no futuro, venham também a ser sacerdotes (neste caso, sacerdotisas).


O anúncio foi feito esta sexta-feira, 13, num encontro entre o Papa e centenas de religiosas.

"Penso que sim, fazia bem à Igreja esclarecer este ponto. Concordo. Falarei para que se faça qualquer coisa desse género", disse Francisco, perante 900 superioras gerais de vários institutos e congregações religiosas dos cinco continentes, reagindo a sugestões nesse sentido.

 

Lusa

 

 

 

 

 

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)