Zika: Mais de 1,6 milhões de grávidas poderão ser infectadas nas Américas - estudo

Escrito por Editor JSN . Publicado em Mundo

Mais de 1,6 milhões de grávidas poderão ser infectadas com o Zika na América Central e do Sul na primeira onda da epidemia. A informação foi revelada através de um estudo, que estima que dezenas de milhares de gravidezes possam ser afetadas

 


Publicado na edição eletrónica da revista Nature Microbiology, o estudo estima que, no total, 93,4 milhões de pessoas sejam infectadas com o vírus na América do Sul e no Caribe nas primeiras fases da disseminação do vírus.


O estudo mostra também que o Brasil deverá ser o país com maior número de infecção, com mais do dobro dos casos de qualquer outro país, devido ao seu tamanho e à facilidade de transmissão.


Segundo as estimativas, 37,4 milhões de pessoas serão infectadas no Brasil e 579 mil grávidas estão em risco, enquanto o México, o segundo país mais afetado, registará 14,9 milhões de infecções e 263 mil grávidas em risco.

O geógrafo Andrew Tatem, da Universidade de Southampton, no Reino Unido, e diretor na Fundação Flowminder, na Suécia, disse que "é difícil prever com rigor quantas mulheres grávidas estão em risco de infeção pelo Zika, porque uma grande parte da população não apresenta sintomas".


Com efeito, estima-se que 80% das infecções por Zika sejam assintomáticas e algumas das que apresentam sintomas poderão dever-se a outros vírus.


O estudo agora apresentado por investigadores do pelo projecto WorldPop e pela Fundação Flowminder na Universidade de Southampton e colegas das Universidades de Notre Dame e de Oxford, resulta de uma projecção baseada num modelo desenvolvido pela equipa de Alex Perkins, da Universidade de Notre Dame, no estado norte-americano de Indiana.


Segundo os investigadores, o método é mais rigoroso do que estimativas anteriores porque tem em conta teorias ecológicas como a imunidade de grupo - quando há tantas pessoas com imunidade que o resto da população goza de imunidade indireta - ou o número básico de reprodução de casos - o número estimado de novas pessoas que uma pessoa infectada consegue contaminar numa população completamente suscetível.


O Brasil, o país mais afetado pela epidemia de Zika, contabiliza 1.709 casos de microcefalia em recém-nascidos desde outubro do ano passado, segundo dados do Ministério da Saúde brasileiro.


De acordo com o mais recente boletim da tutela, com dados até 16 de julho, "outros 3.182 casos permanecem sob investigação".

 

Lusa

 

 

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)