Papa pede que dignidade humana dos detidos seja “plenamente respeitada”

Escrito por Editor JSN . Publicado em Mundo

Sumo Pontífice presidiu este domingo ao jubileu dos reclusos e advertiu para a necessidade de se olhar para o perdão

 


Na homilia da missa celebrada este domingo em Roma, por ocasião do jubileu dos reclusos o Papa Francisco dirigiu-se aos atuais e antigos reclusos, oriundos de 12 países, e pediu que não se aponte apenas o erro, mas sim a possibilidade do perdão.


Na missa celebrada na Basílica de São Pedro, o também Bispo de Roma tratou os detidos por “queridos reclusos” e admite haver uma “certa hipocrisia” que leva as pessoas a ver nos presos “apenas pessoas que erraram” e que por isso “a única estrada é a cárcere”.


Admitindo que todos estão sujeitos ao erro e como tal passíveis de irem à prisão, o Papa aproveitou a homilia para pedir e defender melhores condições de vida nas penitenciárias para que a dignidade humana dos detidos seja “plenamente respeitada”.


Pensando na vida pós reclusão, o Papa apelou ao a uma justiça social que não seja “exclusivamente punitiva”, mas “aberta à esperança e à perspetiva” de reinserção na sociedade.

 

 

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)