DOM ILDO FORTES: Diário de Roma – 2.º dia da visita Ad Limina

. Publicado em Opinião

Aqui estou para um breve resumo e deixar algum eco deste segundo dia de peregrinação – Visita ad Limina

 


O nosso dia hoje, terça-feira, foi extremamente denso, pois fomos recebidos por cinco Dicastérios da Cúria Romana e cada um destes encontros foi muito intenso e bom. Logo pelas 8h45, foi a vez da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos. Aqui e a propósito do recente documento emanado pela Congregação que chama a atenção para os exageros que se tem vindo a introduzir na altura do gesto da Paz na missa; tivemos (em especial os bispos do Senegal) a oportunidade de lembrar que a Igreja em África tem outro ritmo e cultura, dando muito valor aos gestos e às manifestações do calor humano. Todavia, os responsáveis por este Dicastério sublinham aquilo que já era doutrina, que o abraço da paz na missa não é um momento de saudações nem de correr a Igreja distribuindo abraços e beijinhos; muito menos como praxe às entidades oficiais (que às vezes estão presentes apenas por razões protocolares, alguns dos quais nem cristãos). Resumindo é um gesto que manifesta a fraternidade daqueles que vão comungar o mesmo Cristo e deve ser dado ao que está ao nosso lado.


O nosso itinerário pela manhã foi ainda de encontro à Congregação para a Educação Católica (10h15), onde se sublinhou a importância entre outros de garantir a identidade católica das nossas escolas e que a formação cristã esteja presente no projecto global da educação.


Ainda pela manhã (12h30), visitamos o Conselho Pontifício para a Pastoral da Migração e da Mobilidade humana. De salientar que este é assunto muito pertinente para os nossos países, sobretudo Cabo Verde, país de turismo e migração.


A tarde foi para visitar o Conselho Pontifício “Justiça e Paz” (16h30); aqui podemos abordar assuntos muito actuais e sensíveis e que tocam vários países da nossa região. Foi aflorada também alguns aspectos que relacionam cristãos e muçulmanos, etc. O Cardeal oriundo do Gana, Peter Tukson, muito próximo, afável e bem disposto à boa maneira africana, é quem tutela a presidência deste Dicastério Romano.


Para terminar, visitamos às 17h45 o Conselho Pontifício para a Família: Uma equipa comandada por Monsenhor Vincenzo Paglia com um dinamismo impressionante: daqueles homens que pensam e vivem à velocidade de 100km/h. Obviamente, tivemos oportunidade de partilhar alguns ecos do Sínodo para a Família que aconteceu em Outubro e demos já algumas achegas para o Sínodo Ordinário também sobre a Família que acontecerá em Outubro do próximo ano. Notamos que infelizmente os Media abordaram o assunto da Família segundo uma perspectiva apenas mediática mas longe da realidade do que se passava no Sínodo. Estes deram a sensação que o Sínodo falhou porque, enfim, “choveu no molhado” e não aprovou aquilo que eles tinham tomado como o mais importante: casamento dos homossexuais, comunhão dos recasados, etc. O Sínodo era e é para promover a família como um valor, um tesouro da humanidade; obviamente sem excluir o acolhimento que devemos fazer a todos os que não vivem, por alguma razão, aquilo que a Igreja propõe.


Já noite, voltamos a casa de Santa Marta para celebrar a Eucaristia e como de costume a alegria de estar na sala de jantar onde podemos avistar e cruzar com o querido Papa Francisco que naturalmente se levanta com o seu prato na mão para ir se servir como qualquer um outro hóspede da casa.


Amanhã, quarta-feira, bem cedo, pelas 7 horas (5h em Cabo Verde) estaremos junto ao Túmulo de S. Pedro para celebrarmos a Eucaristia. Vós lá estareis também de um modo muito especial!


Ildo Fortes | Bispo de Mindelo

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar