CRIAÇÃO DO MUNICIPIO DE SANTA MARIA NO SAL É VIÁVEL, NECESSÁRIA E URGENTE

. Publicado em Opinião

Estudos já realizados por pedido do Governo Nacional dão conta de que os 90 km2 do futuro município de Santa Maria consiste numa circunscrição maior do que 8 dos Municípios Nacionais

 


Portanto, quanto à hipotética falta de condições para se criar dois municípios na ilha do Sal, somos de opinião de que qualquer declaração contra é infundada e é fruto de uma casmurrice política sem precedentes.

Quanto à decisão do presidente do MpD, e a do presidente do PAICV/Primeiro Ministro que já posicionaram publicamente contra a criação do Município de Santa Maria, continuamos à espera de uma justificação clara e aceitável, desses dois políticos nacionais.


Pois, é inadmissível que qualquer líder político nacional tente fazer política partidária com uma decisão desta envergadura.


Todos os atores políticos nacionais e ou homens e mulheres responsáveis políticos, institucionais e sociais têm o dever de ter tido conhecimento dos estudos sobre a Descentralização elaborado e socializado pelos conselheiros governamentais, durante o fim do primeiro semestre deste ano de 2014 e início do segundo, o que apresenta dados concretos sobre as capacidades econômicas, sociais, ambientais, culturais e políticas de cada um dos atuais 22 municípios nacionais.


E mais, se adicionarmos os cerca de 7 mil funcionários que deslocam diariamente à cidade de Santa Maria aos atuais 10 mil habitantes existentes na Cidade, teremos um Município constituído por uma população maior que dez Concelhos Nacionais, a conhecer; (São Lourenço dos Órgãos, Santa Catarina do Fogo, Tarrafal de São Nicolau, Paul, Mosteiros, Ribeira Brava, Boavista, Maio, Ribeira Grande de Santiago e Brava).


São Salvador do Mundo, o mais pequeno de todos, com apenas 27 km2, seguido de São Lourenço dos Órgãos com 37 km2, Paul 54 km2, Brava 64 km2, Mosteiros 82 km2, Santa Cruz 90 km2, São Miguel com 91 km2, mais 1 km2 do que Santa Maria.


Contudo, ao ouvir alguém, seja ele ou ela, de que partido for, afirmando de que "o mais importante é resolver o problema da regionalização", como se o processo de Regionalização fosse impedimento a qualquer processo de municipalidade, é pura e simplesmente abuso da demagogia e hipocrisias políticas que poderão vir a ser o desastre e a queda política de quem as usa.


A ilha do Sal, tem todas as condições de albergar dois municípios sustentáveis e continuar a sustentar o governo central, como sempre foi o caso (ver verbas arrecadadas pelo governo, aos municípios nacionais).


Tantos os deputados do MpD como os do PAICV e da UCID, que são Deputados competentes e capazes de analisar um estudo social, ambiental, cultural, econômico e ou financeiro terá, decerto, a capacidade intelectual e profissional de despir a camiseta partidária e votar para a aprovação da criação do novo município de Santa Maria, como fizeram e sempre fazem quando se trata de aumento de vencimentos e ou orçamentos da Assembleia Nacional, bens para uso e abuso pessoal.


Assim como outros, também temos conhecimento dos inúmeros deputados, das bancadas parlamentares que reconhecem a necessidade de se criar o Município de Santa Maria, na ilha do Sal.

Esta bagunceira de disciplina partidária dos membros e dirigentes dos partido políticos nacionais precisa ser revista, porque o povo eleitor é quem sofre com as incompetências e falta de profissionalismo existente no seio dos membros da casa parlamentar cabo verdeana. 

O respeito e ética governamental deviam ter falado mais alto do que as politiquices parlamentares e, os Deputados deviam ter tido em consideração as exigências populacionais de quem votou para os colocar nesta posição de decisão, tendo inicialmente confiado na escolha dos partidos que os colocou nas listas.


Por cada dia que passa, por cada debate parlamentar, por cada momento de exposição das capacidades intelectuais e profissionais desses infelizes Deputados, provas concretas das incompetências e incongruências dos que são identificados como políticos, o que faz da Assembleia Nacional a mais pura vergonha deste povo orgulhoso de ser Cabo-verdiano.


Os deveres para com o eleitorado, que espera mais lealdade e honestidade da parte dos deputados nacionais precisam ser mais persistentes e levados em conta, nos momentos de voto.


E, baseando-nos nestas posições institucionais e partidárias dos dois grupos parlamentares do arco da governação achamos pertinente ir buscar os seguintes três pontos da autoria do Sr. José Manuel Varela, MD PhD (1937 - 2007) “Em Cabo Verde existe três tipos de gente: (1) passadores de pau, (2) matadores do burrinho do bispo e (3) discutidores de merdinhas enfeitadas”.

 

 

Carlos Fortes Lopes | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

 

 

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar