AFINAL O SIGLA (ASA) SIGNIFICA GESTÃO DE AEROPORTOS OU DE HOTÉIS? EM QUE FICAMOS? (Continuação)

. Publicado em Opinião

Pelos vistos a empresa de Aeroportos e Segurança Aérea de Cabo Verde - ASA - está se sentindo rubostamente saudável a nível econômico que já decidiu estender as suas áreas de ação para a da hotelaria e restauração

 


Um marco histórico, (positivo ou negativo?), que irá marcar a atualidade informativa do país, por algum tempo.

Esta decisão ousada dos membros da direção da ASA, decerto que, não ficará apenas pela notícia que já começou a fazer manchetes em vários meios de comunicação e redes sociais.

Uma das muitas contradições que encontramos, até agora, é a de os membros da direção da ASA dizerem que a empresa não apresenta condições financeiras para comprar aparelhos ILS para os Aeroportos de São Vicente e Boavista e ter sido, ao mesmo tempo, aconselhado a investir num outro ramo alheio à qualidade do funcionamento dos existentes Aeroportos e da respetiva Segurança Aérea nacional.

Sem dúvidas algumas, congratulamos os diretores pela recente compra da Empresa de Handling dos TACV, (agora Cabo Verde Handling), que vinha prestando serviços a todas as companhias aéreas que utilizam os aeroportos do nosso território nacional. Salvaguardaram a integridade nacional de prestação de serviços.

Entretanto, dados recolhidos junto de pessoas bem posicionadas, informam-nos de que o valor da compra de um aparelho de ILS nem chega ao investimento feito na handling de Boavista, em termos de material.

Esse investimento da ASA, na compra da Handling Cabo Verde, foi oportuna e salvou 300 pessoas do desemprego. Para esta decisão da gestão da ASA, os nossos sinceros votos de muitos parabéns, e que venham mais do tipo.

Contudo, porque tudo na vida tem a seus prós e contras, a pergunta que se põe agora é: qual foi o valor de cada trabalhador da tacv handling, o capital humano dessa empresa e, porque razão esses trabalhadores não foram contemplados com a possibilidade da compra de ações da Cabo Verde Handling?

E, já agora; será que alguém poderá responder, explicando, como decorreram as anteriores negociações entre a ASA e as outras empresas de handling da TAP, VARIG, LUFTANSA, DELTA, etc., etc.?

Nesta linha de pensamento, convém salientar que tanto o Engenheiro como o Presidente do Conselho de Administração da ASA faltaram à verdade, ao falarem sobre a aquisição do Hotel Atlântico.

Por falta de informação e ou incompetência profissional os jornalistas que os entrevistou e ou assistiram à conferência de imprensa, não foram capazes de chamar a atenção desses senhores para a realidade sobre a localização do Hotel Atlântico.

Como é do conhecimento da maioria dos Salenses, do meu tempo, esse Hotel só foi utilizado pela ALITALIA, TAAG, AEROFLOT, VARIG, TAP e LAM enquanto o Hotel Morabeza, na vila de Santa Maria, ainda era de uma dimensão limitada.

Pois, o Hotel Atlântico pode, e muito bem, ser utilizado como escola, porque não é o mais adequado para descanso das tripulações, devido à sua localização próxima das pistas de descolagens do Aeroporto Internacional Amílcar Cabral e o constante e ensurdecedor barulho dos aviões.

Mas antes disso, a ASA precisa rever as suas insuficiências internas, no que diz respeito à Segurança das Pistas, Plataforma e Edifícios, tais como o Terminal de Carga, Vor Locator, na ilha do Sal, etc., etc..
Além desses exemplos de falta de Segurança no Aeroporto Internacional Amílcar Cabral, destacam-se as gravilhas das pistas dos Aeroportos Internacionais, Cesária Évora, em São Vicente e o Nelson Mandela na Capital do País, que danificaram um dos motores do Boeing da TACV.

Acrescenta-se ainda as famosas pedras no caminho de circulação, colocadas por mãos criminosas, invasão da vedação das pistas da ilha do Sal, por um indivíduo que foi encontrado nas portas de entradas das trem de aterragem do avião Antonov 124.

O Hotel Atlantico, sendo parte integral do grupo da Aero-Negócio, teria que ser transformada em uma universidade virada exclusivamente para a formação dos Safety Agents, Flight Dispatchers, Analisadores de Dados Metereologicos para a Aviação, Agentes de Prevenção e Controle de Obstáculos, Reabastecedores, Agentes de Viagem, Guia Turisticos, Agentes de Catering, Agentes de Handling e Limpeza de Aviões, Human Factor Experts, Aviation Fire Experts, Aviation, Bombeiros, etc., etc..

 

A Voz do Povo Sofredor

 

 

Carlos Fortes Lopes | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

 

 

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar