CARLOS FORTES LOPES: As más gerências governamentais

. Publicado em Opinião

O primeiro mês de 2015 foi contemplado com um surto de roubos em apartamentos de emigrantes e residentes nesta triste cidade do Mindelo

 


Analisando a situação social da ilha e do país, concluímos que este surto de roubos é resultado da má gestão governamental/municipal.

Numa ilha e país vítima de uma crise econômica sem precedentes, não pode estar a dar ao luxo de gerir a sua sociedade através da oferta de espectáculos populares. 

O Governo, as Câmaras Municipais e as Instituições Nacionais terão que mudar de atitude, para o bem da nação cabo verdiana.

Estamos vivendo uma preocupante situação social que terá que ser abortada o mais urgente possível.

Nenhum país ou ilha que pretende alcançar patamares de sucesso econômico e ou social não pode deixar ser induzida pela venenosa euforia social de satisfazer os desejos das populações, semanalmente, com venenosos espectaculos musicais.

As campanhas políticas e as gerências municipais não podem, nem devem, continuar a desempenhar as suas funções à base de oferta de entretenimentos.

Com esta miserável postura governamental, a maioria dos munícipes estão sendo obrigados a enveredar por ilegalidades sociais como roubo, tráfego e consumo da droga, prostituição e violência contra idosos e deficientes, o que tem sido a causa de muitas mortes violentas, neste país que já foi distinguida internacionalmente pela sua pacatez e morabeza social.

Tanto o governo central como os governos municipais têm que estudar outros métodos de governação, para que sejam capazes de mudar o rumo do país.

Há que criar postos de trabalho para os mais de cem mil (100,000) desempregados deste país, evitando, enquanto é tempo, uma catástrofe social.

A postura desses que não têm como ganhar o dinheiro que lhes proporcionará o envolvimento lícito nas atividades populares, patrocinadas por empresas públicas e privadas, em cooperação com as Câmaras Municipais deste país a sobreviver sob elevadas dívidas públicas não mudará, se os governantes não forem capazes de contornar esta desgraçada euforia social.

É necessário um bom mergulho na busca dos valores humanos, que nos desvie dessas sequelas sociais com atributos do pensamento geopolítico vigente na nossa democracia nacional.

As democracias ocidentais foram assimiladas pelas pressões culturais que provocaram a instabilidade nos diversos governos do mundo em vias de desenvolvimento.

Estes governos, de países em vias de desenvolvimento, como o nosso, estão sendo apenas veículos de poder, sem forma de expressão libertária, e de entendimento das necessidades sociais que estão sofrendo um afunilamento de conteúdo, pela exploração das ideologias, que gravitam em torno das dificuldades do homem, em se impor no horizonte público do bem estar social.

É urgente que se abra um caminho para a reflexão sobre algumas questões, que andam ocupando as mentes dos que desejam descobrir as razões de tanta incompreensão política, principalmente com as classes menos favorecidas deste mundo.

Há que acabar acumulando todas as principais desgraças desta sociedade que ainda não se encontrou, porque não fomos ensinados e nunca aprendemos como conduzir com autonomia e liberdade democrática.

Caso os governantes nacionais e regionais não forem capazes de eliminar este "trend" social, a sociedade civil será a vítima condenada à desgraça.

 

A Voz do Povo Sofredor

 

 

Carlos Fortes Lopes /  Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

 

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar