Carlos Fortes Lopes: Greve nacional de professores arancou na manhã

. Publicado em Opinião

Esta greve de 48 horas que iniciou às 7h:30 de terça feira 24 de fevereiro 2015, é mais uma das muitas greves que serão levadas a cabo neste ano pré eleitoral

 

O Sindicato Nacional de Professores e a Federação Cabo-verdiana de Professores estão de parabéns pelo esforço apresentado durante as tentativas de negociações com o Governo.

Apesar da insensibilidade governamental, os professores tudo fizeram para evitar a paralisação das aulas e, possivelmente o congelamento das notas dos alunos, o que implicará um grande atraso para os alunos que precisarão das suas notas finais e o certificado para se procederem à respetiva inscrição nas universidades, nacionais e ou internacionais.

Os professores estão tão decididos em continuar a luta que até já programaram uma outra greve para o dia 23 de abril, "Dia Nacional do Professor" e, pensam de cujo em boicotar as atividades comemorativas do quadragésimo (40) aniversário da independência de Cabo Verde.

Os quatro encontros realizados entre o Sindicato dos Professores e o Ministério da Educação e Desportos, com a mediação da Direção Geral do Trabalho, não surtiram efeito e o produto final foi a realização da greve.

E assim os professores reivindicam os seus direitos laborais e constitucionais, aderindo a esta greve de quarenta e oito (48) horas.

De entre muitas outras reivindicações, destaca-se a eliminação das reclassificações, o que está prejudicando os cerca de 600 professores atualmente em formação no Instituto Universitário da Educação (IUE).

De salientar que uma boa parte destas reivindicações têm sido apresentadas sistematicamente, pelos professores, desde o longíquo ano de 2008.

Enquanto isso, a FECAP continua apenas respondendo ao chamamento dos professores, cansados de esperar pelo Governo para resolver esses problemas que vêem afetando o desempenho e a aplicação profissional da classe.

A Ministra da Educação, como é óbvio, diz que fez tudo para evitar a greve, o que consoante os professores corresponde a mais um acto de faltar à verdade dos factos.

Tudo indica que, entre os atores deste filme de comédia, no sistema de ensino nacional, faltou o espírito de honestidade, transparência, determinação e vontade de resolver essas quezilas que estão destruindo ainda mais o sistema de ensino neste pobre país.

 

 

A Voz do Povo Sofredor

 

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. 

 

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar