CARLOS FORTES LOPES: Debates autárquicos – Ilha do Sal

. Publicado em Opinião

No passado dia 12 de agosto de 2016, através da Rádio Nacional de Cabo Verde e a Estação 102.1FM de Brockton, tive a oportunidade de escutar o debate dos candidatos ás autárquicas do dia 4 de Setembro, na minha ilha do Sal, e fiquei com a impressão que ainda existe um árduo trabalho para se fazer no seio da sociedade politica nacional

 


Os três candidatos tiveram momentos felizes e inúmeros momentos em que faltou o factor sociedade civil como o argumento principal do debate.


Debateram os conhecidos problemas sociais, urbanos e culturais da ilha, apresentaram algumas propostas que exigem uma colaboração permanente da governação central que durante os últimos 15 anos demonstrou ser um adversário constante das autarquias, especialmente a nossa rica autarquia salense que só viu os montantes aí produzidos serem desviados para os cofres do Estado e aplicados no desenvolvimento infraestrutural da Capital do país.


A nota positiva e de destaque desse debate recai sobre a candidatura do Mestre Júlio Lopes que teve o cuidado de salientar que tem uma equipa formada por 13 pessoas competentes e todas bem reconhecidas na sociedade salense.


Pois, das 13, 6 têm formação em gestão e áreas afins, o que é muito bom e indica claramente que este candidato pretende ter uma câmara gerida por pessoas com conhecimento e experiência, capazes de trabalhar para resolver os problemas das populações e das localidades, criando condições propícias para um desenvolvimento coeso da ilha, evitando a tendência adversária de basear tudo que dizem querer fazer no sistema politico-partidário, o que já deu provas concretas de ser prejudicial para qualquer ilha ou população de Cabo Verde.


E para completar esta nota de hoje, gostaria de chamar a atenção dos salenses para o factor experiência profissional, dedicação, simpatia e capacidade de escuta de cada candidato.


Convém ainda salientar de que durante esses últimos 4 anos, enquanto o Mestre Gestor Júlio Lopes estudava e preparava o seu doutoramento no Turismo Integrado (preparando para gerir melhor os destinos da ilha capital do turismo nacional), o politico, menino de recado, Démis Almeida, colaborava com a equipa coordenada pelo patrão, José Maria Neves, na capital para humilharem, sem dó nem piedade, a Câmara do Sal e, consequentemente, todo o povo eleitor do Sal.


O Sr Demis Almeida foi o infeliz do debate a três. Pois, um candidato que acha que ter pessoas com experiência na gestão não é importante porque uma Câmara não é uma empresa está muito aquém da realidade social nacional e perigosamente entusiasmado com a politica partidária para gerir um Câmara como a do Sal que exige dedicação e conhecimento profissional para executar os programas e corresponder ás necessidades dos munícipes.


O candidato Démis Almeida deixou bem claro que não sabe e é contra a gestão moderna das organizações públicas. Talvez seja pela falta de experiência profissional deste jovem candidato e ou muito fanatismo partidário de gerir a coisa pública como se fosse pertença de um pequeno grupo de militantes.


A gestão de um Município é similar à gestão empresarial desde que haja eficácia e eficiente, numa postura prática de solução de problemas da sociedade.


Para o bem da minha ilha, Eu prefiro uma equipa como a do Mestre Júlio Lopes, com gestores, arquitetos urbanistas, professores e pessoas de várias áreas de formação. Uma equipa diversificada que decerto vai trabalhar mais para a nossa querida ilha do Sal.


Quanto ao candidato Júlio Lopes, durante os estudos de doutoramento sobre o turismo, este Mestre em Gestão assistiu a, aulas de doutoramento aqui nos EUA onde eu próprio encontrei-me com ele e desfrutamos de alguns momentos de trocas de ideias e convívio com alguns membros desta comunidade emigrada.


O Mestre Júlio Lopes, para além de ser um gestor competente, comentador da comunicação social cabo-verdiana domina com proficiência várias línguas estrangeiras, o que é importante para o eleito presidente de uma Câmara Municipal como a da nossa Ilha do Sal que depende do exterior para sobreviver e ajudar as outras ilhas sobreviverem.

 


Carlos Fortes Lopes/Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

 

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar