JANIRA HOPFFER ALMADA: A responsabilidade e a lealdade na política

. Publicado em Opinião


Os problemas que, hoje, alguns "descobriram" no PAICV não começaram nem nas Legislativas de 20 de Março, nem nas Autárquicas de 4 de Setembro. E todos estamos (ou deveríamos estar) conscientes disso!

 

 

O PAICV perdeu as Eleições Legislativas e, mais recentemente, as Eleições Autárquicas. A primeira consequência foi a colocação do meu Cargo de Presidente do Partido à disposição. Mas, o PAICV não se pode resumir à sua Liderança!

E se o PAICV não se resume à sua Liderança – como muitos têm defendido e eu concordo absolutamente –, a reflexão em torno da responsabilidade de “cada peça desse xadrez” também deve ser mais profunda.

Alguns, neste momento, reclamam um debate franco e aberto, que merece o meu acordo. Mas não terá sido agora que se sentiu a necessidade desse debate franco e aberto e com reais consequências, para pôr cobro àquilo que, nos últimos anos (e não no último ano, ou nos últimos dias), se vem sentindo no PAICV!

Os problemas que, hoje, alguns "descobriram" no PAICV não começaram nem nas Legislativas de 20 de Março, nem nas Autárquicas de 4 de Setembro. E todos estamos (ou deveríamos estar) conscientes disso!

Em 2008, o PAICV enfrentou problemas na gestão do processo autárquico, em alguns círculos eleitorais, nomeadamente em Santa Catarina (de Santiago) e em São Filipe.

Em 2011, o Dossier “Presidenciais”, conhecido de todos, abriu feridas e deixou marcas que, ainda, não sararam, e, a cada dia que passa, isso vai ficando mais claro!

Em 2012, também enfrentamos dificuldades na gestão de alguns processos para a escolha de Candidatos Autárquicos, sendo os casos mais evidentes o de São Vicente e o de São Filipe.

Em 2012 é certo que conseguimos oito Câmaras Municipais, como já se disse! Mas, há a acrescentar, igualmente, que essa vitória foi num contexto em que éramos Poder, depois de termos vencido as Eleições Legislativas e com um ano de distanciamento entre as duas Eleições (Legislativas e Autárquicas). Portanto, perdemos, então, as Eleições Autárquicas. Mas, ficámos com oito Câmaras Municipais sim!

E agora pergunto: De 2011 a 2014 houve espaços para promover esse debate franco e aberto que hoje se reclama? Foram criadas as condições para tal? Se tal ocorreu, que consequências houve, desse Debate, para o funcionamento e fortalecimento do PAICV?

Temos de reflectir agora? Temos! Até porque não será só com o passado que construiremos o futuro! E o presente tem demonstrado isso mesmo!

Mas temos de reflectir sobre tudo, de há um tempo a esta parte! E espero que essa reflexão seja verdadeiramente franca e aberta, com profundidade no tempo e, sobretudo, nos permitindo ver, ouvir e valorizar o Militante de Base, que, afinal, é quem manda (ou deveria mandar) no Partido. E que essa reflexão seja um exercício para, de facto, unir e fortalecer o PAICV, garantindo o reforço de valores e princípios que sempre caracterizaram o nosso Partido!

 

Janira Hopffer Almada | Presidente do PAICV

 

 

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar