Olavo Correia no Maio para “vender um sonho”

. Publicado em Política e Cidadania

Ministro está no Maio e apresentou o PEDS aos operadores económicos e sociedade civil da ilha e pediu forte empenho de todos no processo de desenvolvimento da ilha e do País

 


“Estou aqui para procurar vender um sonho”. É com esta frase que o ministro das Finanças e da Administração Pública, Olavo Correia, iniciou na última noite, na ilha do Maio, a apresentação do Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável, PEDS.


“Temos que confiar”, pediu logo de seguida aos presentes, explicando que Cabo Verde é um País e ao mesmo tempo uma “marca forte”, por isso deve ser promovido de modo a se tirar o melhor proveito de um destino que pelas suas caraterísticas pode fazer “toda a diferença” no mundo.


Durante a sua alocução de cerca de 35 minutos, perante uma plateia composta essencialmente por operadores económicos, quadros da ilha e sociedade civil, o governante que está na ilha a cumprir uma intensa agenda no decurso do fim-de-semana, sustentou que cada uma das nossas ilhas “pode ser um destino” turístico, mas defendeu que o setor privado deve apostar mais nas ilhas e no País.


“Tudo é possível e temos a obrigação de transformar o impossível em possível”, desafiou o ministro, para quem ao Estado é reservado o papel de “facilitador” e “mediador” mas que cabe ao setor privado, seja nacional ou estrangeiro, a promoção de investimentos para alavancar a economia. “Defendemos um setor privado potente, inovador e capaz de competir”, sublinhou.


Segundo o ministro, um dos “sonhos” do Governo é de ter um País seguro, confiável, previsível, com liberdades, descentralizado/regionalizado e com jovens do e no mundo. Para que isso possa acontecer é necessário – sustentou - um “investimento forte” na educação.


Por outro lado, defendeu que “o destino de cada um de nós, não depende do Estado” e exemplificou com uma família onde cada um dos filhos tem a sua sorte.


Olavo Correia admite que Cabo Verde tem “todas as condições” para ser uma plataforma de serviços, em diversas áreas, mas para tanto indicou que é preciso quadros “altamente qualificados”.


Sobre o Maio, o governante reconheceu ser uma ilha com “todas as potencialidades” para se desenvolver, contando, para tanto, com recursos naturais “extraordinários”.

Sobre o turismo na ilha admitiu que o tempo pode ser um "grande amigo" do Maio e indicou que precisamente pelo fator tempo "erros" cometidos em ilhas como Sal e  Boa Vista podem ser evitados.

 
Olavo Correia está no Maio, juntamente com a ministra Eunice Silva a cumprir uma agenda que contempla, de entre outros, a inauguração de obras no âmbito do segundo pacote do MCA/MCC, requalificação urbana em Figueiras, apresentação do projeto de requalificação urbana e ambiental da Vila de Calheta, entre outros eventos.

 

 

 

comments

Comentários (0)

Cancel or

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)