TURISMO: Tarrafal de Santiago marca presença em Berlim e Lisboa

Escrito por Antonio . Publicado em Regiões

O vereador do pelouro, José Soares, esteve em Berlim na Feira Internacional de Turismo e vai marcar presença na Bolsa de Turismo de Lisboa e, ainda, promover contactos entre a rede de cooperação com o Tarrafal e encontros com estudantes e emigrantes cabo-verdianos na Grande Lisboa. O próximo passo será a visita de uma delegação de empresários alemães ao município


 

A Câmara Municipal do Tarrafal de Santiago tem vindo a fazer uma grande aposta estratégica no setor do Turismo e José Manuel Soares Tavares, responsável pelo pelouro da Cooperação, Turismo e Promoção do Concelho (na foto, o segundo a contar da direita, em receção organizada pela embaixadora de Cabo Verde), participou na Feira Internacional de Turismo de Berlim (ITB), na Alemanha – que se realiza entre 5 e 12 deste mês, e onde o nosso país tem um stand (na foto) -, para promover o município como destino turístico, nomeadamente no sentido de, em parceria com a Direção Geral do Turismo, a Câmara de Turismo e a Cabo Verde Investimento, organizar uma visita de jovens e empresários alemães ao Tarrafal. Para tal, conta com a colaboração de Victor Fidalgo, Jacinto Mendes Semedo e da embaixadora de Cabo Verde em Berlim, Maria Cristina Pereira.

Dar a conhecer oportunidades de investimento

A presença da delegação tarrafalense em Berlim foi uma oportunidade para dar a conhecer as oportunidades de investimento no Tarrafal, de que o Turismo é setor de referência, nomeadamente no que respeita ao Turismo natural e histórico, aproveitando nesse sentido as oportunidades de visibilidade internacional que oferece o antigo campo de concentração, agora em fase de candidatura a Património Mundial. Aliás, a este propósito, José Soares anunciou a intenção de o seu município estabelecer uma relação de amizade e cooperação com a cidade alemã de Dachau, onde de igual modo foi instalado um campo de concentração pelo regime nazi de Adolf Hitler, e referiu que o primeiro diretor do campo do Tarrafal estagiou nessa prisão alemã, que tem algumas semelhanças em matéria arquitectónica e mesmo no que respeita ao primeiro regulamento interno.

Investir no setor agropecuário

Aproveitando a sua ida à Europa, o vereador encontra-se atualmente em Portugal para encontros com estudantes e emigrantes da Grande Lisboa e do Algarve, visitando alguns municípios da rede de cooperação com o Tarrafal e ali promovendo encontros com responsáveis locais, nomeadamente com o vereador da Cultura e do Turismo da Câmara Municipal da Amadora e com o presidente da Junta de Freguesia da Costa do Sol.

José Soares vai, ainda, marcar presença na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), que se realiza entre os dias 12 e 16 deste mês, para ali promover também o seu município.

“O Tarrafal possui excelentes condições para o desenvolvimento do setor do Turismo, potenciando atividades que vão desde o mero lazer, com o desfrute de ótimos dias de praia, ao longo de todo o ano, até à prática da pesca, do mergulho, do surf ou à descoberta da ilha onde se situa, em passeios a pé ou de bicicleta, o que fez com que este importante setor económico passasse a ser considerado um dos principais ativos de desenvolvimento económico e social do concelho”, refere o vereador, considerando também fundamental investir no setor agropecuário, melhorando “o aproveitamento dos meios, das condições de produção e o abastecimento de bens alimentares de qualidade a toda a população e, em particular aos estabelecimentos hoteleiros e de restauração”, uma “exigência de dimensão estratégica e que deve ser objeto da maior atenção” pelos poderes públicos.

 

CIDADE VELHA: Prémio literário assinala inauguração da Biblioteca Municipal

Escrito por Antonio . Publicado em Regiões

Antecipando a inauguração e abertura do novo equipamento cultural da Ribeira Grande de Santiago, a autarquia promove a iniciativa que tem o nome de Pedro Silva, que também o dá à Biblioteca Municipal, um benemérito português, escritor e historiador, que ofereceu grande parte do recheio do novo espaço


 

Tendo em vista assinalar a futura inauguração e abertura ao público da Biblioteca Municipal, a Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago acaba de lançar o Prémio Literário Pedro Silva, o benemérito, escritor e historiador que dá também nome à biblioteca.

O escritor português doou grande parte do recheio deste novo equipamento cultural que irá ser instalado provisoriamente em São Martinho Grande, num edifício onde estão a decorrer obras de adaptação. Mais tarde, aquando da conclusão da Cidade Nova, a nova urbe da Ribeira Grande de Santiago, a Biblioteca Municipal será ali instalada em edifício construído de raiz.

As obras concorrentes ao Prémio Literário Pedro Silva podem ser entregues na autarquia até 30 de abril, sendo seguidamente sujeitas a avaliação por um júri constituído por cinco elementos, nomeadamente: Pedro Silva (que dá nome ao prémio e à biblioteca, e é cidadão honorário da Cidade Velha); Carlos Alberto Lopes, vereador da Cultura; João Lopes Filho, historiador, escritor e sociólogo cabo-verdiano, presidente da Fundação João Lopes; Joaquim Saial, professor, historiador e crítico de arte português, ex-director da revista Callipole, Cidadão Honorário de Cidade Velha; e, ainda, Nuno Rebocho, escritor e poeta português, há mais de uma década radicado em Cabo Verde, indicado por Pedro Silva.

Os originais a concurso devem ser entregues na Secretaria da Câmara Municipal em envelope fechado e lacrado, assinado por pseudónimo e acompanhado por carta com a identificação do autor, garantindo assim a imparcialidade na sua avaliação.

O júri reúne a partir de 1 de maio e tornará pública a sua decisão até 31 do mesmo mês, estando prevista a publicação do original vencedor pela editora Eudito, sendo que o prémio será entregue em cerimónia pública por ocasião da inauguração da Biblioteca Municipal.

Regulamento do Prémio Literário Pedro Silva

Introdução

Subjacentes à criação deste Prémio Literário estão três motivações fundamentais: em primeiro lugar, a divulgação da literatura cabo-verdiana, a referência ao escritor e patrono da Biblioteca Municipal, Pedro Silva, e a vontade de incentivar o gosto pela escrita e pela leitura.

Artigo 1.º

O Município de Ribeira Grande de Santiago, com sede em Cidade Velha, institui o Prémio Literário Pedro Silva, destinado a nascidos e residentes em Cabo Verde, e que será realizado por uma (1) única vez.

Artigo 2.º

O Prémio Literário Pedro Silva tem como âmbito o premiar um trabalho inédito na área literária definida como Ficção/Conto. O prémio será a publicação em formato impresso (livro) nas publicações Euidito. Os segundo e terceiro classificados receberão uma Menção Honrosa. Tanto o lançamento da obra vencedora, quanto a entrega das menções honrosas, acontecerão no mesmo dia, a marcar em 2014, depois da inauguração da Biblioteca.

Artigo 3.º

Podem concorrer todos os naturais ou residentes em Cabo Verde.

Artigo 4.º

Cada concorrente poderá apresentar um máximo de uma obra original, tendo de obedecer aos seguintes parâmetros:

- Redigido em língua portuguesa

- Máximo de 125 páginas de formato A4, com espaço duplo entrelinhas e tamanho 12 no corpo da letra, sendo a opção o Times New Roman;

- Os originais deverão ser enviados, sob pseudónimo, por correio registado para: (INSERIR MORADA DA Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago)

- Os originais devem seguir em uma cópia impressa e uma cópia em CD/DVD ou outro sistema informático que permita a leitura no computador;

- Com os originais deverá seguir um envelope fechado, contendo os dados referentes ao autor;

- Os trabalhos devem ser entregues até 30 de Abril.

Artigo 5.º

O trabalho que, pela sua qualidade literária, mais se distinga entre os autores naturais ou residentes de Cabo Verde será publicado como contrapartida pela distinção.

Artigo 6.º

Caberão ao Município da Ribeira Grande de Santiago todos os direitos sobre a primeira edição do trabalho premiado, comprometendo-se este a oferecer ao respectivo autor 10 exemplares, considerando-se os direitos de autor regularizados desta forma.

Artigo 7.º

Poderão, ainda, ser atribuídas menções honrosas às duas obras classificadas em segundo e terceiro lugar, respectivamente. Estas Menções Honrosas terão a forma de um Diploma.

Artigo 8.º

A entrega dos prémios será feita em sessão pública a determinar pela Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago.

Artigo 9.º

O júri será composto por:

- Presidente Honorário (dr. Pedro Silva)

- Um membro indicado pela Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago, pelo seu vereador da Cultura

- Uma personalidade reconhecida pelo seu mérito intelectual – prof. João Lopes Filho

- Um Cidadão Honorário da Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago (dr. Joaquim Saial)

- Nuno Rebocho, escritor português indicado por dr. Pedro Silva.

Artigo 10.º

O júri poderá não atribuir qualquer prémio, caso considere que os trabalhos apresentados não reúnem condições de qualidade que o justifiquem.

Artigo 11.º

Os casos omissos ou as divergências na interpretação do presente regulamento serão solucionados pelo júri.

Artigo 12.º

Das decisões do júri não haverá recurso.

Deste modo, ficam abertas (até 30 de Abril) as candidaturas a este Prémio.

 

SÃO DOMINGOS: Populações de Loura e Rui Vaz já têm estrada

Escrito por Antonio . Publicado em Regiões

A autarquia pretende dotar o município de uma rede rodoviária que ligue todas as localidades. O próximo passo é a estrada de Chãnzinha e obras de recuperação das vias de acesso em Mendes Faleiro Cabral, Chaminé e Veneza. A inauguração de ontem foi presidida pela ministra Sara Lopes


 

Correspondendo a uma velha reivindicação das populações, a Câmara Municipal de São Domingos inaugurou esta sexta-feira, 7, a estrada que liga Loura a Rui Vaz, numa extensão de 3 quilómetros.

O ato público de inauguração foi presidido pela ministra das Infra-estruturas e Economia Marítima, Sara Lopes, contando com a presença do edil, Franklin Tavares, do presidente da Assembleia Municipal, Emanuel Lopes, e ainda de Raul Carvalho, o presidente do Instituto de Estradas, e de membros da equipa municipal.

O Governo financiou o projeto, num valor que ronda os 10 mil contos mas que também se destina à conclusão da estrada de Chãnzinha, em Nossa Senhora da Luz, onde faltam apenas mil e quinhentos metros para fechar o traçado.

Segundo o edil, “esta estrada tem enorme importância para o desencravamento de Loura e permite ao mesmo tempo ligar á localidade de Santana [no município da Ribeira Grande] fechando o anel da zona metropolitana de Santiago Sul”. Já para a ministra Sara Lopes, “o Governo tem feito um esforço permanente para desencravar várias localidades em Cabo Verde, sendo este um exemplo”. Por tal razão, o executivo tem vindo a estabelecer contactos com o BADEA e o Fundo Árabe para o Desenvolvimento no sentido de implementar a construção de estradas ligando o interior de várias ilhas do arquipélago.

O próximo passo da gestão municipal é a estrada de Chãnzinha e intervenções de recuperação em Mendes Faleiro Cabral, Chaminé e Veneza, dotando assim o concelho de uma rede de ligações rodoviárias de qualidade.

 

RIBEIRA GRANDE: Txuba Txobi e Mosquito Horta com iluminação pública

Escrito por Antonio . Publicado em Regiões

O objetivo da autarquia da Cidade Velha é cobrir todo o concelho com redes domiciliárias e públicas de energia eléctrica, mas também, de água. Passo a passo a obra surge


 

A aposta na iluminação integral de todo o município teve esta sexta-feira, 7, mais um avanço. A Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago e a Direção Geral de Energia instalaram nas localidades de Txuba Txobi e Mosquito Horta postes de iluminação pública com utilização de energia solar.

 Os postes estavam inicialmente em Chã Gonçalves, mas esta localidade acaba de receber instalação eléctrica convencional, domiciliária e pública, um objetivo que a autarquia pretende alargar a todo o concelho, cobrindo todas as localidades com energia eléctrica, mas também com água domiciliária.

 

PESTE SUÍNA: Governo embarga carne de porco em Santiago, Fogo e Maio

Escrito por Antonio . Publicado em Regiões

Alguns casos registados nestas ilhas levaram o Ministério do Desenvolvimento Rural a adotar a medida para controlar a variante africana da doença. Segundo informação recolhida pelo JSN, em São Nicolau não foi detetado nenhum caso


 

O Governo acaba de proibir o transporte e circulação de carne de porco e derivados em Santiago, no Fogo e no Maio, uma decisão que visa controlar o risco de proliferação da peste suína, decorrente de alguns casos registados nestas ilhas. A medida foi publicada em portaria do Ministério do Desenvolvimento Rural (MDR) no Boletim Oficial (BO).

"Considerando o aparecimento de vários focos de Peste Suína Africana nas ilhas do Fogo, Santiago e Maio, sendo uma doença altamente contagiosa, virémica, de elevada morbiletalidade e que evolui de forma sobreaguda, algumas vezes subaguda ou crónica, é imprescindível impedir a disseminação da doença", pode ler-se no BO.

A medida surge na sequência da deteção de alguns casos e o MDR pretendeu conter a propagação da doença, nomeadamente munindo a administração veterinária de um instrumento legal, embora não constitua perigo para a saúde humana, de momento que a carne não seja consumida.

Em São Nicolau, segundo informação a que o JSN teve acesso, não foi ainda registado nenhum caso de peste suína africana.

com Lusa

 

Edição em papel

Brevemente disponível
para download em PDF
(Gratuito)